Três verdades solenes sobre o homem

A origem do homem está ancorada em Deus. O homem foi criado e criado à imagem e semelhança de Deus. Não veio à existência por meio da evolução, mas saiu […]

A origem do homem está ancorada em Deus. O homem foi criado e criado à imagem e semelhança de Deus. Não veio à existência por meio da evolução, mas saiu das mãos do criador. Três verdades sobre o homem são destacadas nas Escrituras:

1. A magnitude da sua posição original na criação. Deus criou o homem perfeito. Criou-o como um ser físico, moral e espiritual. Criou-o para o maior de todos os propósitos, ser glorificado nele. Criou-o como o maestro da grande orquestra da criação. Criou-o para dominar sobre as aves dos céus, os animais do campo e os peixes do mar. O homem foi colocado no mundo como o gestor do universo, como o administrador da criação, como o mordomo da natureza. O homem foi criado um pouco menor do que Deus (Sl 8.5). Oh, quão privilegiado é o homem, quão magnífica é sua honra, quão exaltada é a sua posição na ordem da criação. E isso, não apenas por causa da nobreza de sua pessoa, mas também por causa da grandeza de sua missão. Todas as coisas lhe estavam sujeitas.

2. A tragédia da sua condição atual. O homem criado livre escolheu usar sua liberdade para pecar. Tendo plena comunhão com Deus, foi banido da presença de Deus pelo pecado. Sendo o gestor da natureza e tendo tudo sob seu comando, viu a natureza tornar-se-lhe hostil. Os animais dóceis tornaram-se feras. A terra benfazeja produziu espinhos e abrolhos. O trabalho deleitoso produziu-lhe suor em sua face. A relação harmoniosa com sua mulher, passou a ser marcada por conflitos. Dar à luz a um filho tornou-se missão penosa e cheia de dores para sua mulher. O homem caiu num estado de depravação e miséria. Perdeu sua comunhão com o criador e passou a ter medo de Deus. Perdeu sua liberdade e tornou-se escravo. Perdeu sua alegria e passou a ser esmagado pela culpa. O homem que tinha acesso à arvore da vida, morreu em seus delitos e pecados. Adão, como cabeça federal da raça, precipitou toda a raça num estado de decadência e miséria. Por ele o pecado entrou no mundo e pelo pecado a morte. Todos morreram porque todos pecaram. Não há justo nenhum sequer. Oh, que tragédia terrível foi a queda! Oh, quão maligníssimo é o pecado! É pior do que sofrimento e a morte, que ele trouxe em suas asas.

3. A glória de sua restauração em Cristo. A imagem de Deus criada no princípio, desfigurada pela queda, é, agora, restaurada em Cristo. O homem perdido é encontrado. O homem escravo é liberto. O homem morto recebe vida eterna. O homem corrompido é lavado. O homem arruinado pelo pecado é redimido e restaurado. Pela obra do Espírito Santo ele nasce de novo e torna-se nova criatura. Tudo se faz novo em sua vida. Ele é arrancado da casa do valente, do império da trevas e transportado para o reino da luz. Outrora era escravo do diabo, agora é filho de Deus. Outrora vivia com o pescoço da coleira do pecado, agora deleita-se na santidade. Outrora, vivia segundo o curso deste mundo, andava segundo seus pensamentos e era filho da ira, mas agora deleita-se em Deus, tem prazer em sua palavra. Outrora, vivia sem esperança e sem Deus no mundo, agora regozija-se na esperança da glória de Deus. Outrora, era mesquinho, avarento, egoísta e fazia tudo para agradar sua própria carne, agora seu propósito é alegrar o coração de Deus através de um serviço abnegado ao próximo. Outrora, seus olhos eram cheios de cobiça e impureza, agora deleita-se na santidade. Outrora, amava as coisas, usava as pessoas e era inimigo de Deus, agora adora a Deus, ama as pessoas e usa as coisas para honrar a Deus e servir ao próximo. Na criação Deus fez o homem um ser honrado. Na redenção, Deus devolveu ao homem sua dignidade e o fez assentar-se com Cristo, nas regiões celestes. Na glorificação, Deus levará o homem para sua glória eterna, onde ele reinará com Cristo pelos séculos eternos!

Rev. Hernandes Dias Lopes