Como restaurar o caído

O apóstolo Pedro é um símbolo do homem inconstante. Como o pêndulo de um relógio, ele oscilava entre as alturas da fé e as profundezas da covardia. Sempre explosivo, falava sem pensar e agia sem refletir. Era capaz das afirmações mais sublimes acerca de Jesus para depois capitular-se às fraquezas mais vergonhosas. Num momento expressava uma fé robusta e noutro, soçobrava diante da incredulidade. Pedro chegou a ponto de negar seu nome, suas convicções, sua fé e seu Senhor. Ele desceu os degraus da queda, ao julgar-se melhor do que seus condiscípulos, ao seguir a Jesus de longe, ao se inserir no meio daqueles que zombavam do Filho de Deus e ao negar repetidamente e até com impropérios que o conhecia.

Pedro chegou a ponto de desistir de tudo. Desistiu de ser discípulo. A única coisa que sabia fazer era chorar amargamente e alagar o seu leito com suas grossas lágrimas. Mesmo Pedro tendo desistido de si mesmo, Jesus não desistiu de Pedro. Jesus não abdicou do direito de ter Pedro ao seu lado. Por isso, mandou-lhe um recado pessoal (Mc 16.7). Jesus não desiste nunca dos seus. Ele é o pastor que procura a ovelha perdida. Ele vai ao encontro daqueles que caíram para restaurá-los. O que Jesus fez para restaurar Pedro?

Em primeiro lugar, Jesus toma a decisão de procurar Pedro. A ovelha perdida não volta para o aprisco sozinha. Aqueles que tropeçam e caem não se restauram sozinhos de suas quedas vergonhosas. Jesus nos ensina a ir ao encontro dos caídos. Precisamos tomar a iniciativa. Não é a ovelha ferida que procura o pastor, mas o pastor que vai em busca da ovelha perdida. Jesus não apenas nos ensinou essa verdade, ele também a praticou, dando-nos o exemplo.

Em segundo lugar, Jesus toma a decisão de não esmagar Pedro. Talvez o que Pedro mais esperasse fosse uma reprimenda severa de Jesus. Pedro havia prometido ir com Jesus até a morte, mesmo que os outros discípulos o abandonassem. Sua arrogância tornou-se notória. Pensando ser mais forte do que os outros, tornou-se mais fraco. Sua autoestima estava no pó. Ele se sentia o pior dos homens. Jesus, então vem a ele, não para esmagá-lo como uma cana quebrada. Ao contrário, prepara-lhe uma refeição, conversa com ele com discrição e faz-lhe perguntas endereçadas ao coração.

Em terceiro lugar, Jesus toma a decisão de despertar o amor de Pedro. Em vez de confrontar Pedro, fazendo-o lembrar de suas vergonhosas quedas, Jesus toca de forma sensível no âmago do problema, perguntando-lhe: “Tu me amas?”. Quando Pedro caiu, seu eu estava assentado no trono de sua vida. Para Pedro se levantar Jesus precisava estar no trono do seu coração. O amor é o maior dos mandamentos. O amor é o cumprimento da lei. O amor é a prova insofismável de que somos verdadeiros discípulos de Jesus. A condição única exigida a Pedro para voltar-se para Jesus e para reingressar no ministério era demonstrar seu amor a Jesus.

Em quarto lugar, Jesus toma a decisão de curar as memórias de Pedro. Jesus preparou a cena para conversar com Pedro. A queda do apóstolo havia sido ao redor de uma fogueira. Jesus, então, arma na praia a mesma cena. Pedro havia negado Jesus três vezes, em grau ascendente. Pedro negou, jurou e praguejou. Jesus, então, lhe fez três perguntas, também em grau ascendente. Jesus quer não apenas restaurar o coração de Pedro, mas também curar suas memórias amargas. O Senhor se interessa não apenas pelas nossas convicções, mas, também, pelos nossos sentimentos.

Em quinto lugar, Jesus toma a decisão de reingressar Pedro no ministério. Depois de restaurar Pedro, Jesus lhe deu uma ordem clara: Apascenta os meus cordeiros, pastoreia as minhas ovelhas. Jesus restaura não apenas a vida espiritual de Pedro, mas, também, o seu ministério como apóstolo e seu trabalho como pastor do rebanho. A atitude de Jesus em relação a Pedro lança luz sobre a atitude que a igreja deve ter em relação àqueles que caíram e precisam ser restaurados. Que Deus nos dê sabedoria e amor para agirmos de modo semelhante.

12 thoughts on “Como restaurar o caído

  • 15 de março de 2010 em 9:28
    Permalink

    Parabéns, reverendo Hernandes, pela sequência da restauração de um cristão que vivia as consequências da inconstância.
    Apenas quero deixar uma sugestão. Há muitos leitores que se sentiriam mais satisfeitos se em cada tópico houvesse referência bíblica.
    Que Jeová o bendiga sempre em seu ministério pastoral evangelístico.

    Resposta
  • 16 de março de 2010 em 7:02
    Permalink

    Pastor Hernandez

    Excelente pastoral. Que Jesus Cristo esteja sempre contigo.

    Resposta
  • 20 de março de 2010 em 18:52
    Permalink

    boa noite,

    Graça e Paz da parte de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
    parabéns, reverendo Hernandes, homem de Deus, que o Senhor Deus continue dando ao reverendo inspiração para trazer palavras au nossos corações, palavra que alimenta como essa, Como restaurar o caído. seguindo á sugestão pelo irmão Rebeh, Há muitos leitores que se sentiriam mais satisfeitos se em cada tópico houvesse referência bíblica.
    Graça e Paz

    Resposta
  • 21 de março de 2010 em 10:46
    Permalink

    palavra abençoadora. Que Jesus continue enchendo vosso coração com sabedoria que vem do alto.

    Resposta
  • 26 de março de 2010 em 20:56
    Permalink

    Gostei muito,muitas vezes em nossa vida, passamos por situações onde somos acusados, pelos nossos erros, mas Deus vem restaurar nossa vida, não apontando nossas feridas, mas como cura-las, que é pelo amor de deus em nossas vidas.

    Resposta
  • 28 de março de 2010 em 8:28
    Permalink

    “há coisas q só o coração percebe, parabéns!!!

    Resposta
  • 28 de março de 2010 em 18:16
    Permalink

    Sempre é bom sermos alertado sobre a importância de amar. Como é fácil exigir os nossos direitos, descarregar os defeitos do outro e depois se sentir vítima! Como se consegue ser egoísta com tanta facilidade! Que exemplo de amor maior! E quanto devemos buscar a sabedoria de Deus e esforçarmos para exercer este comportamento que engrandece o homem aos olhos de Deus. Obrigada, pela mensagem de despertar. Tenho grande admiração por seu trabalho cristão. Que Deus esteja continuamente o abençoando e o capacitando para semear palavras de Deus no meio do seu povo e de toda pessoa que tema ao Senhor. Felicidades, Nice. Juazeiro do Norte – CE

    Resposta
  • 14 de abril de 2010 em 9:33
    Permalink

    Rev. Hernandes Dias,
    É uma alegria poder compartilhar de seus ensinos e artigos sempre muito bem articulados e com a unção do Espírito Santo. Espero um dia poder recebê-lo em nossa Igreja no RJ.
    Seu em Cristo.

    Resposta
  • 18 de abril de 2010 em 23:49
    Permalink

    Rev. Hernandes acho que ha três anos mais ou menos venho acompanhando e colhendo algumas mensagens, e chego até ministrar algumas na igreja onde congrego, são mensagens muito edificantes, que Deus possa abençoa a sua vida cada dia mais.

    Resposta
  • 19 de abril de 2010 em 6:15
    Permalink

    Maravilhoso, Rev. Hernandes, sua colocação qto ao
    Amor e zelo de Deus p/ com aquele que cai, infelelizmente, o que mais vemos são pessoas marginalizadas por causa de erros do passado,graças à Deus pelo amor profundo dedicado ao que está abatido e caído.

    Resposta
  • 24 de abril de 2010 em 14:35
    Permalink

    Seu comentário está aguardando moderação.

    Querido pastor Hernandes. Tu és uma fonte sempre a jorrar. Tu és benção para o povo de Deus. LOuvado seja Ele pela sua vida pelo que Ele é em sua vida, pelo qua stá fazendo e ainda irá fazer. As pastorais são abençoadoras.
    No amor de Cristo,
    PB Paulo.

    Resposta
  • 3 de maio de 2010 em 21:43
    Permalink

    Caro Rev. Hernades, tenho plena certeza da direção do Espírito Santo em todas suas preleções, pois são belas palavras de vida que vão diretamente ao encontro do mais íntimo do meu coração. Todos os sermões são ao mesmo tempo de um amparo bíblico e didático fora de série, mas contudo, de uma simplicidade tamanha que só poderia vir de um genuíno imitador de Cristo. Seu ministério é executado em espírito e em verdade e o Todo Poderoso vai abençoá-lo ainda mais!! Grande homem de Deus, você tem sido um grande exemplo de vida não só para nós presbiterianos e evangélicos, mas para muitos neste mundo.
    Graça e paz estjam sempre presentes em sua jornada e de sua família. Amém.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *