Digna de honra

Há mais de um mês somos lembrados pelos diversos meios de comunicação que hoje, 2º domingo de maio, em todo o nosso vasto território nacional é dia de celebração. Dia […]

Há mais de um mês somos lembrados pelos diversos meios de comunicação que hoje, 2º domingo de maio, em todo o nosso vasto território nacional é dia de celebração. Dia de almoço em família, aquisição de flores, compra de presentes e homenagens àquela que é considerada como a Rainha do Lar.

Para o comércio a data é de suma importância, pois é a segunda de maior faturamento, só ficando atrás do período natalino. Os lojistas estão otimistas e esperam vendas entre 5% e 9% acima das registradas em 2011, no mesmo período. Segundo pesquisa realizada por uma conceituada empresa do ramo e divulgada no último dia dois, a maioria dos consumidores (61%) deve gastar até R$ 100,00 na aquisição de presentes.

Nada contra o lauto almoço familiar, a entrega de flores e outros presentes, porém como cristãos não podemos nos contentar só com isso. A Palavra de Deus nos ensina algo mais profundo e significativo do que uma única homenagem com data marcada (2º domingo de maio).

O quinto mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”, é o primeiro ligado a uma promessa e o segundo apresentado de forma positiva. O teor do texto é explicito, não deixando espaço para qualquer tipo de dúvida. O renomado reformador francês João Calvino apresenta o significado deste mandamento com as seguintes palavras: “A síntese, portanto será: que usemos de deferência para com (aqueles) que o Senhor nos fez superiores e os assistamos de honra, e de obediência, e de grato reconhecimento”. Conquanto o mandamento seja abrangente aos pais, peço licença para tratar especificamente da figura materna.

É de suma importância destacar a origem e a extensão do mandamento. A determinação não partiu de um soberano ou juiz semelhante a nós, antes é ordem expressa do Senhor de toda a terra – “Então, falou Deus todas estas palavras” (Ex 20.1). Também não estamos lidando com uma lei civil ou cerimonial (com vigência específica), antes com um preceito Moral e, portanto de vigência contínua (em todas as épocas, em todos os lugares e para todas as pessoas).

O significado do substantivo “honra” no texto hebraico é: “dar peso, dar importância, dar significado, valorizar, ter apreço, prestigiar”. Não apenas em um único dia, e sim, todos os dias.

O quinto mandamento exige:

Que o (a) filho (a) obedeça à sua mãe – Com tristeza constatamos que muitos filhos desobedecem sem o menor constrangimento. Dispensam um tratamento completamente desrespeitoso e agressivo, não entendendo a necessidade de obter autorização por parte de quem recebeu o encargo de orientar e conduzir o seu proceder. É verdade que a obediência exigida não é irrestrita, ela tem sempre como padrão a Bíblia.

Que o (a) filho (a) cuide de sua mãe – Para alguns filhos a mãe é considerada como um peso, um empecilho, algo que deve ser descartado. Muitos que já saíram de casa, passam meses sem nenhum tipo de contato, não por justo impedimento, antes por total esquecimento. Em locais especializados para cuidar de idosos é comum encontrarmos mães que foram abandonadas afetivamente e cujos filhos se contentam em pagar a mensalidade.

Que o (a) filho (a) seja grato à sua mãe – Para que haja gratidão é necessário memória. Quem não se lembra do benefício recebido jamais será grato. A gratidão deve ser ofertada por meio de gestos e palavras. Quantos são os filhos que já não se lembram da última vez que beijaram e abraçaram a mãe? Também não se lembram de quando foi a última vez que proferiram palavras meigas, de incentivo e valorização para com aquela que os gerou.

Queridas mães da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória, recebam nosso carinhoso e respeitoso abraço, com gratidão a Deus por todas vós. Também suplicamos ao Senhor para que todos os filhos de nossa amada igreja cumpram com imensa satisfação e fidelidade o quinto mandamento.

Rev. Jailto Lima do Nascimento

Sobre Administrador