A pedagogia do Natal

O Natal é pedagógico. Nossos olhos precisam estar abertos e nossos ouvidos atentos ao que Deus quer nos ensinar através do nascimento, vida e morte de Jesus. Destacamos alguns pontos […]

O Natal é pedagógico. Nossos olhos precisam estar abertos e nossos ouvidos atentos ao que Deus quer nos ensinar através do nascimento, vida e morte de Jesus. Destacamos alguns pontos para nossa reflexão:

1. O nascimento de Jesus nos ensina uma lição de humildade. Jesus nos ensina através do seu nascimento. Ele é o Rei que nasceu servo, o Deus que se fez homem, o transcendente que se esvaziou de sua glória. O dono do mundo não nasceu num berço de ouro, mas num coxo de palha. O criador do céus e da terra, o Deus encarnado, diferente dos nobres deste mundo, não nasceu debaixo das luzes da ribalta, dos flashes da popularidade; ao contrário, não havia lugar para ele em Belém. Ao nascer foi perseguido pelo rei Herodes. Precisou cruzar o inóspito e causticante deserto do Sinai e atravessar o deserto Saara e fugir para o Egito, para escapar da perseguição de um rei louco. Jesus cresceu como um carpinteiro na pobre vila de Nazaré. Começou o seu ministério como um rabino itinerante, que não tinha onde reclinar a cabeça. Sendo rico se fez pobre. Sendo servido pelos anjos do céu, cingiu-se com um avental e lavou os pés dos discípulos, que infantilmente, disputavam entre si, um lugar de honra na feira das vaidades humanas.

2. A vida de Jesus nos ensina uma lição de amor altruísta. Jesus nos ensina não apenas através do seu nascimento, mas, também, através da sua vida. Ele veio não para ser servido, mas para servir. Manifestou-se para levantar o caído, animar o fraco, salvar o perdido, curar o enfermo e restaurar o quebrado. Ele andou por toda parte fazendo o bem e libertando os oprimidos do diabo. A pregação, o ensino e a cura estavam sempre no topo de sua agenda. Sua doçura atraía as crianças. Sua compaixão enternecia os publicanos. Seu amor inefável abria a porta da esperança para os enjeitados da sociedade. Todos aqueles que se achegavam a ele com o coração quebrantado, recebiam seu perdão. Todos os aflitos que buscavam nele alívio, saíam consolados. Jesus veio ao mundo para revelar-nos o coração amoroso do Pai. Ele é o caminho que nos leva de volta ao Pai. É a porta que nos dá acesso ao trono da graça. Por meio dele podemos entrar na sala do Trono e ter comunhão com o Deus de amor.

3. A morte de Jesus nos ensina uma lição de sacrifício abnegado. Jesus nos ensina através da sua morte. Ele veio ao mundo para dar sua vida em favor do seu povo. Ele morreu pela sua igreja. Ele deu a vida pelas suas ovelhas. Sendo Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus, antes se esvaziou e se humilhou até à morte e morte de cruz. Jesus ofereceu sua vida por pecadores indignos. Sua morte foi voluntária. Ninguém podia tirá-la dele, ao contrário, espontaneamente ele a deu. Ele caminhou para a cruz como um rei caminha para a coroação. Na cruz ele nos comprou para Deus. Na cruz ele pagou a nossa dívida. Sua morte foi substitutiva. Ele morreu a nossa morte. Sofreu o nosso castigo. Fez-se pecado e maldição por nós, para que fôssemos santos e benditos para sempre. O patíbulo da sua dor e de sua horrenda morte, tornou-se a fonte de onde jorra para nós copiosa redenção. Num sentido a morte de Cristo é única e não podemos imitá-lo. Só ele pôde morrer vicariamente. Noutro sentido, porém, aprendemos com Jesus em sua morte, que devemos também dar a nossa vida pelos irmãos (1 Jo 3:16). É tempo de honrarmos aquele que desceu do céu para nos levar ao céu e aprendermos com ele através de seu nascimento, vida e morte.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Sobre Administrador