O CONSOLO DA PALAVRA DE DEUS

“O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica” (Sl 119.50)

O Salmo 119, com seus 176 versículos, é dedicado exclusivamente a exaltar o valor e o poder da Palavra de Deus.  A Palavra de Deus é inspirada, sua origem é divina. A Palavra de Deus é inerrante, nela não contém erros nem contradição.  A Palavra de Deus é infalível, ela não pode falhar. A Palavra de Deus é eficaz, ela sempre cumpre os propósitos para os  quais Deus a designou. A Palavra de Deus é poderosa, ela como martelo esmiúça a dureza dos corações. A Palavra de  Deus é eterna, passa os céus e a terra, mas ela jamais passará.  

O texto em epígrafe fala-nos sobre três verdades, que passamos a destacar: 

  1. Os filhos de Deus não são poupados da angústia. A vida não é indolor. O percurso entre o berço e a sepultura  está salpicado de dor. Não poucas vezes somos fuzilados por rajadas de ventos contrários, trazendo em suas asas, angústia  para a alma e tormento para o coração. O salmista afirmou: “Laços de morte me cercaram e angústias do inferno se  apoderaram de mim; caí em tribulação e tristeza” (Sl 116.3). A sua angústia era medonha. Em sua percepção, o inferno  estava instalado dentro de seu peito. O apóstolo Paulo, o grande bandeirante do Cristianismo, chegou a afirmar que  enfrentou tribulações maiores do que suas forças, a ponto de desesperar-se da própria vida (2Co 1.8). O próprio Jesus, o  Filho de Deus, confessou aos seus mais próximos discípulos, no Getsêmani: “Aminha alma está profundamente triste, até  à morte” (Mt 26.38). Do lado de cá da sepultura passamos por angústias. Lidamos com o sofrimento. Nossos olhos são  inundados de muitas lágrimas. Aqui sofremos, choramos, sangramos, morremos. 
  2. Os filhos de Deus são consolados na angústia. O salmista não apenas destaca sua angústia, mas também  ressalta o consolo que recebeu. Há bálsamo para os filhos de Deus. Há óleo fresco sobre a nossa cabeça. Há unguento  sobre nossas feridas. Há refrigério para nossa alma. O nosso Deus é o Deus e Pai de toda consolação (2Co 1.3). É ele quem  nos conforta em toda a nossa angústia, para consolarmos outros que estiverem passando pelas mesmas circunstâncias.  Deus é poderoso para enxugar nossas lágrimas, terapeutizar nossa dor e trazer-nos alívio e conforto. Quando nos  sentimos abatidos, ele nos levanta; quando nos sentimentos fracos, ele nos carrega no colo. 
  3. Os filhos de Deus são vivificados pela Palavra. A Palavra de Deus é o grande instrumento que Deus usa para  nos consolar e nos vivificar. É pela Palavra que somos chamados à salvação. Ela é a divina semente, por meio da qual  nascemos de novo. Ela, como luz, clareia as cavernas do nosso coração. Como fogo, queima os entulhos do nosso  coração. Como martelo, esmiúça nossas resistências. Como espada, é arma poderosa para nos defender. A Palavra é  alimento para nossa fome: é leite para os infantes e carne para os adultos. É pão nutritivo do céu. A Palavra é doce ao nosso  paladar. É mais doce do que o mel e o destilar dos favos. A Palavra é mais preciosa para nós do que muito ouro depurado.  Ela restaura a alma e ilumina os olhos. Ela dá sabedoria aos simples e alegra o coração. Ela nos dá discernimento e nos  preserva de cair no cipoal da vaidade. Oh, quão poderosa é a Palavra de Deus para nos vivificar. Por meio dela somos  santificados. Por ela somos consolados e reavivados. Todos os avivamentos da história foram inspirados pela Palavra e  dirigidos por ela. Quando a examinamos, ela nos perscruta. Quando a guardamos no coração, ela nos protege do pecado.  A Palavra de Deus é poderosa. Ela despede chamas de fogo e faz tremer o deserto. Ela é viva, irresistível e vitoriosa. 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *